Periodontite: saiba o que é e como prevenir

Constantemente somos alertados sobre os perigos de desenvolver cáries, e não é à toa, pois essa é a segunda doença mais comum do mundo, perdendo apenas para o resfriado. No entanto, dentre as enfermidades bucais mais perigosas, a periodontite se destaca.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 90% da população mundial sofre com algum tipo de periodontia. Esse quadro clínico pode causar danos irreversíveis na integridade dentária e em toda a saúde bucal.

No entanto, o que torna essa condição tão prejudicial é o impacto que ela pode inferir em todos os tecidos do corpo, uma vez que as bactérias inflamatórias se alojam no pulmão, coração, útero e até no cérebro.

Neste caso, o uso de um convenio odontologico pode ajudar a manter essa doença longe e a boca mais saudável. Mas manter-se alerta aos primeiros sintomas é fundamental para procurar ajuda antes que seja tarde.

O que é a periodontite?

A periodontia é a evolução de um quadro de inflamação gengival leve, que passa a atacar os tecidos mais profundos da boca e compromete a estrutura de sustentação dental, bem como a saúde geral de todo o organismo.

Isso acontece quando as bactérias causadoras da gengivite começam a destruir os ossos ao redor dos dentes, os nervos e todo o tecido periodontal.

Neste estágio da doença, esses microrganismos podem cair na corrente sanguínea e espalhar a infecção para diversos órgãos.

Estudos recentes puderam relacionar a periodontite como uma das principais causas de patologias cardíacas, gastrointestinais, respiratórias e, ainda, encontraram a sua influência no processo de indução do parto prematuro e no agravamento dos sintomas da covid-19.

Além disso, a falta do tratamento adequado pode resultar na perda dentária, principalmente entre a população adulta e maior de 60 anos. Contudo, essa doença pode acometer pacientes de todas as idades, incluindo crianças e adolescentes.

Principais causas

A higienização bucal incorreta ou insuficiente facilita o acúmulo de placas bacterianas e a formação do tártaro na superfície dentária.

Periodontite-saiba-o-que-e-e-como-prevenir

Quando essas estruturas se localizam próximas à linha da gengiva, as bactérias causam a irritação desse tecido e a inflamação leve, que chamamos de gengivite.

Com o tempo, há uma criação de espaços entre a gengiva e o dente que podem chegar até a raiz e o osso maxilar. Nessas bolsas, o tártaro se desenvolve e causa a inflamação crônica e a destruição dos tecidos.

Sintomas

A inflamação bucal agravada pode decorrer de um quadro curto de gengivite ou levar anos para se desenvolver. Porém, uma vez que a doença tenha se instalado, os danos causados são irreversíveis.

Assim, estar atento aos sintomas é essencial para diminuir as lesões e para o sucesso da recuperação. 

Entretanto, precisamente por se tratar de uma progressão de outra doença, muitos pacientes confundem os indícios da periodontia com os sintomas das inflamações gengivais mais leves. Por isso, o cuidado é necessário sempre, bem como o acompanhamento profissional.

Contudo, com o aumento da gravidade da infecção, os sinais da enfermidade também se intensificam. Neste caso, o paciente começa a perceber:

  • Sangramento intenso durante a higienização bucal;
  • Mau hálito;
  •  Escurecimento das gengivas;
  • Amolecimento dos dentes;
  • Aparência alongada dos dentes;
  • Dificuldades durante a mastigação;
  • Aparição de abcessos.

É possível que as pessoas também sintam dores, mas isso acontece apenas quando o quadro já está bastante avançado. 

Por isso, é fundamental que o paciente não espere chegar nesses extremos para procurar um auxílio profissional.

Formas de prevenção

A melhor forma de prevenir o aparecimento dessa doença é adquirindo bons costumes de limpeza bucal. Assim, a escovação deve ser feita três vezes ao dia, seguida pelo uso diário do fio dental – que é fundamental para remover as bactérias acumuladas no sulco gengival.

Além disso, investir em um plano odontologico pode ajudar na realização de consultas mais frequentes de limpeza profunda. 

Nessas visitas, o profissional irá utilizar jatos de água para remover as placas bacterianas e o tártaro dos locais de mais difícil acesso.

A periodicidade com que essa limpeza precisa ser feita varia para cada paciente, mas a recomendação geral é de uma vez a cada seis meses.

Diagnóstico e Tratamento

Utilizar os benefícios de um convênio odonto empresarial para aumentar as consultas de rotina é primordial para manter a saúde dos dentes, pois essa constância facilita a identificação do problema ainda nos estágios iniciais e previne o desenvolvimento de consequências mais graves.

De qualquer forma, é preciso que o dentista examine a hemorragia gengival e, com o auxílio de uma sonda fina, meça a profundidade das bolsas.

Dependendo do avanço do quadro, pode ainda ser necessária a realização de exames radiológicos para verificar a gravidade da perda óssea.

O tratamento é feito por meio de uma limpeza profunda, para a remoção de toda a placa bacteriana e o tártaro das regiões mais profundas da gengiva e da raiz dos dentes. 

Em alguns casos será preciso uma pequena cirurgia para alcançar os tecidos mais internos do dente e a recomendação de antibióticos e enxaguantes antissépticos.

O uso de assistência odontológica, como o plano dental para MEI, garante esses procedimentos e ainda estende os benefícios para até dois familiares do titular. 

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.